fotos-doutores.jpg

Dr. Walter Rabelo
Email:
wrabelo@cardiol.br

A JACC Heart Failure Position Paper

Nasrien E. Ibrahim, John C. Burnett Jr., Javed Butler, Alexander Camacho, G. Michael Felker, Mona Fiuzat, Christopher O’Connor, Scott D. Solomon, Muthiah Vaduganathan, Michael R. Zile and James L. Januzzi Jr.

JACC: Heart Failure                   

March 2020

Este estudo investigou o uso de peptídeos natriuréticos como critérios de inclusão e desenvolveu recomendações quanto ao seu uso. O peptídeo natriurético do tipo B (BNP) e o peptídeo natriurético do tipo N pro-B (NT-proBNP) são comumente usados ​​como critérios de inclusão para ensaios clínicos de insuficiência cardíaca (IC), mas não existe consenso sobre o uso ideal para esse fim . Uma pesquisa abrangente do banco de dados de Análise Agregada do ClincalTrials.gov identificou 3.446 ensaios de IC.

Desses, 365 estudos clínicos de IC recentemente concluídos ou em andamento (10,6%) usaram o BNP ou o NT-proBNP como critério de inclusão. Um painel de especialistas discutiu as práticas atuais e um caminho a seguir para o uso de peptídeos natriuréticos como critérios de inclusão para estudos de IC. Houve variações significativas entre os ensaios em relação a qual peptídeo natriurético e qual valor de corte foi usado.

No geral, 43% usaram ambos os peptídeos natriuréticos, 33% usaram apenas NT-proBNP e 24% usaram apenas BNP na determinação da elegibilidade. Estudos usando concentrações de BNP e NT-proBNP como critérios de inclusão apresentaram taxas mais altas de eventos cardiovasculares e foram geralmente associadas a maiores taxas de eventos.

As áreas de incerteza incluíram o uso em certas populações de pacientes nas quais os peptídeos natriuréticos são historicamente mais baixos (por exemplo, pacientes negros, obesos, pacientes com IC com fração de ejeção preservada) ou mais altos (pacientes idosos, pacientes com fibrilação atrial).

Este artigo discute as melhores práticas em relação ao uso de BNP ou NT-proBNP em ensaios clínicos e identificação de lacunas na literatura médica, incluindo a importância da documentação em estudos ClinicalTrials.gov para informar futuros esforços de pesquisa.

A seguir, pontos-chave a serem lembrados neste documento. Os autores consultaram o banco de dados de Análise Agregada do ClinicalTrials.gov (AACT) para identificar todos os estudos de IC que usavam níveis de peptídeo natriurético do tipo B (BNP) ou seu pró-peptídeo N-terminal  pro-BNP equivalente (NT-proBNP) como critérios de inclusão ou exclusão. Eles revisaram e compararam as características dos estudos, além dos dados resumidos. Finalmente, os autores forneceram recomendações sobre as melhores práticas para incorporar o BNP ou o NT-proBNP em ensaios clínicos.

1.Dos 3.446 estudos de IC, 365 estudos concluídos usaram peptídeos natriuréticos (PNs) como critério de inclusão ou exclusão. Houve heterogeneidade significativa nos pontos de corte utilizados.

2.Os níveis de BNP e NT-proBNP variaram significativamente de acordo com características clínicas como idade, sexo, índice de massa corporal (IMC) e função renal. Apenas uma minoria de estudos (17%) ajustou os critérios de  acordo com as características clínicas.

3.Os níveis de BNP e NT-proBNP como critérios de inclusão em ensaios clínicos ajudam a maximizar a probabilidade de inclusão de pacientes com doença de alto risco; ou no caso de IC com fração de ejeção preservada (ICFEP).

4. Entre os pacientes com IC aguda, uma concentração de BNP de 100 pg / ml apresenta sensibilidade razoável para este diagnóstico e uma concentração de NT-proBNP <300 pg / ml exclui a IC aguda com um valor preditivo negativo de 99%. Os pontos de corte relacionados à idade de 450, 900 e 1800 pg / ml para idades <50, 50-75 e> 75 anos, respectivamente, para NT-proBNP têm alta sensibilidade e especificidade para IC aguda.

5. Os níveis de BNP e NT-proBNP podem ser usados ​​para identificar pacientes em risco de IC, a fim de testar estratégias de prevenção. Os pontos de corte são significativamente menores do que os utilizados para a IC definida.

6. Os limiares destes peptídeos devem ser aumentados em 20 a 30% para as seguintes populações: pacientes com fibrilação atrial e idade> 75 anos. Os critérios  para pacientes com doença renal devem ser dobrados: 200 pg / ml para o BNP e 1200 para o NT-proBNP.

7. Os limiares destes peptídeos devem ser reduzidos de 20 a 30% para pacientes negros e com IMC> 30 kg / m2.

8. O BNP não deve ser utilizado em pacientes em uso de inibidores da neprilisina. NT-proBNP pode ser usado em seu lugar.

Palavras-chave: Fibrilação Atrial, Índice de Massa Corporal, Geriatria, Insuficiência Cardíaca, Doenças Renais, Peptídeo Natriurético,  Peptídeos Natriuréticos, Neprilysin, Fragmentos de Peptídeos, Prevenção Secundária.